quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Filme de aventura nacional "Besouro". Ginga da capoeira ao tradicional estilo chinês de ação


Confira o Triler Oficial do Filme

video
Sinopse
Besouro (Ailton Carmo) foi o maior capoeirista de todos os tempos. Um menino que - ao se identificar com o inseto que ao voar desafia as leis da física - desafia ele mesmo as leis do preconceito e da opressão. Passado no Recôncavo dos anos 20, Besouro é um filme de aventura, paixão, misticismo e coragem. Uma história imortalizada por gerações, que chega aos cinemas com ação e poesia no cenário deslumbrante do Recôncavo Baiano.
Origem
Manuel Henrique Pereira (18951924), Besouro Mangangá ou Besouro Cordão de Ouro foi um lendário capoeirista da região de Santo Amaro da Purificação, na Bahia. Muitos e grandiosos feitos lhe são atribuídos. Diziam que não gostava da polícia (que diversas vezes frustou-se ao tentar prendê-lo), que tinha o "corpo fechado" e que balas e punhais não podiam feri-lo. Certa feita, quando Besouro trabalhou numa usina, por não receber o ordenado, segurou o patrão pelo cavanhaque e o obrigou a pagar o que lhe devia.
As circunstâncias de sua morte são contraditórias. Há versões que afirmam que Besouro morreu em um confronto com a polícia; outras, que foi traído, com um ataque de faca pelas costas. Esta última é muito cantada e transmitida oralmente na capoeira. Um fazendeiro, conhecido por Dr. Zeca, após seu filho Memeu apanhar de Besouro, armou uma cilada, mandando-o entregar um bilhete a um amigo que administrava a fazenda Maracangalha. Tal bilhete pedia para que seu portador fosse morto. Besouro, analfabeto, não pôde ler que aquele bilhete era endereçado ao seu assassino e que esclarecia que o portador era a vítima, ou seja, ele próprio. Assim, no dia seguinte, ao voltar para saber a resposta, 40 soldados o estavam esperando. Um homem conhecido por Eusébio de Quibaca acertou-lhe nas costa uma faca de tucum (ou ticum), um tipo de madeira, tida como a única arma capaz de matar um homem de Corpo Fechado.
Produção
Besouro, o filme, reforça o aspecto de super-herói do personagem, colocando-o como líder da resistência negra contra a opressão de um típico coronel dono de um engenho de açúcar e seu violento exército de jagunços, para os quais a notícia da abolição da escravatura ainda não chegou. Em busca de maior autenticidade, Tikhomiroff recrutou para protagonista um capoeirista de verdade, Ailton Carmo, que, assim como os demais atores não-profissionais, contou com o apoio da preparadora de elenco Fátima Toledo. A carta na manga do diretor, porém, foi a convocação do chinês Huan Chiu Ku para assinar as coreografias de luta. Responsável pelas espetaculares sequências acrobáticas de filmes como O Tigre o Dragão, de Ang Lee, e os dois Kill Bill, de Quentin Tarantino, o chinês ajuda a reforçar o tom de fábula fantástica do longa brasileiro, ao fazer Besouro voar nas asas da imaginação, em piruetas e golpes que rompem as leis da gravidade.

Críticas
Diálogos fracos e confusão de sotaques, baiano, pernambucano e carioca (sim, carioca!) e a feira popular inverossímil, por exemplo, são pontos fracos. O ator principal, o capoeirista baiano Ailton Carmo (que não tinha experiência em dramaturgia), tem dificuldade nos diálogos, apesar de todo seu esforço. Nas cenas de luta e quando contracena com os orixás - algumas das melhores sequências, ele se sai bem.


Informações Técnicas
Título no Brasil: Besouro / Título Original: Besouro / País de Origem: Brasil / Gênero: Aventura / Classificação etária: 14 anos / Tempo de Duração: 95 minutos / Ano de Lançamento: 2009 / Estréia no Brasil: 30/10/2009 / Site Oficial: http://www.besouroofilme.com.brEstúdio/Distrib.: Buena Vista / Direção: João Daniel Tikhomiroff

Nenhum comentário:

Postar um comentário